I Simpósio de Medicina Tropical e Doenças Negligenciadas da UFRJ

O I Simpósio de Medicina Tropical e Doenças Negligenciadas irá ocorrer nos dias 25 e 26 de julho, no Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFRJ), com uma programação incrível. As inscrições encontram-se abertas até o dia 20 de julho.

Doenças tropicais negligenciadas são todas doenças causadas por agentes infecciosos que atingem populações de baixa renda vivendo em países de clima tropical e subtropical, como África, Ásia e América Latina.[1]

A Organização Mundial da Saúde contabiliza que 149 países vivem nessa situação[2], onde a dengue, chikungunya, doença de Chagas, leishmaniose, doença do sono e outras doenças são responsáveis por 500 mil a 1 milhão de óbitos anualmente, representam um problema global de saúde pública.[1]

Apesar de atingir tantas pessoas no mundo, os setores de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) das indústrias farmacêuticas são orientados a focar nas doenças globais, onde seus investimentos possam render mais lucros. Com isso, entre 1975 e 2004, apenas 21 (1,3%) dos 1.556 novos medicamentos registrados foram desenvolvidos especificamente para essas doenças.[1]

Na ocasião, o Simpósio de Medicina Tropical e Doenças Negligenciadas irá trazer diversos pesquisadores especialistas em Medicina tropical e doenças negligenciadas para discutir as novidades nas áreas, pois poucos são os eventos de caráter regional que contribuem significativamente com a disseminação da informação científica acerca das doenças tropicais negligenciadas.

Família em casa infestada por barbeiros: Acervo Casa de Oswaldo Cruz

A apresentação com maior expectativa dos organizadores é a do Dr. Pedro Vasconcelos, atual diretor do Instituto Evandro Chagas (IEC), que vem do Pará para proferir a palestra “Viroses Negligenciadas na Amazônia”. “De uma forma geral, as palestras estão bem interessantes e diversificadas. Temos uma mesa redonda sobre micoses (paracoccidioidomicose, esporotricose e criptococose) com pesquisadores da Fiocruz que também será muito significante para o simpósio”, disse Helver Dias, um dos idealizadores.

Durante os dois dias de atividades, serão oferecidas conferências, colóquios e apresentações de trabalhos orais, culminando em uma intensa troca de informações a respeito dos novos padrões de ocorrência dessas enfermidades, interação entre os agentes e o ambiente e da vulnerabilidade populacional.

A última foto de Oswaldo Cruz (sentado, no centro), ladeado por Adolfo Lutz (à esq.) e Chagas (à dir.), em 1916.

O Brasil exerce papel de grande importância nos estudos em Medicina Tropical e para comprovar isso o Simpósio de Medicina Tropical e Doenças Negligenciadas terá como abertura a Aula Magna “Tradição Brasileira na pesquisa em doenças negligenciadas“, com o Dr. Roberto de Andrade Medronho, que contará a narrativa histórica sobre deste pioneirismo brasileiro em pesquisa e apontará também reflexões sobre a urgência de investir e pesquisar doenças extremamente endêmicas e prevalentes em nosso país.

O I Simpósio de Medicina Tropical e Doenças Negligenciadas da UFRJ ainda contará com apresentações orais de pesquisadores de graduação e pós-graduação exibindo as mais recentes pesquisas na área de medicina tropical e o I Curso de Atualização em Parasitologia Clínica direcionado para profissionais e alunos na área de análises clínicas, oferecido gratuitamente em parceria com a UFRJ e a Fiocruz.

O I Simpósio de Medicina Tropical e Doenças Negligenciadas da UFRJ é organizado pelo coordenador Dr. Carlos E. Aguilera e seus idealizadores, Gabriela Cardoso, Helver Dias e João V. Gallo com patrocínio da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestrado Profissional em Atenção Primária em Saúde/UFRJ, Faculdade de Medicina/UFRJ, Fundação Oswaldo Cruz, Sociedade Brasileira de Parasitologia e o site de divulgação científica A Ciência Explica.

 


Imagem em destaque: Lucas Cavalcanti

Segunda imagem no texto: Fundação Oswaldo Cruz – Casa de Oswaldo Cruz – dad, imagem foc (VPCC-F) 4-11

 

Referências:

[1] Agência Fiocruz de Notícias. Doenças Negligenciadas por Ricardo Valverde.

[2] Organização Mundial da Saúde. Doenças Tropicais Negligenciadas.

Leitura de apoio: 2013. Luiz C. Dias, Marco A. Dessoy, Rafael V. C. Guido, Glaucius Oliva e Adriano D. Andricopulo. Doenças tropicais negligenciadas: uma nova era de desafios e oportunidades. Quim. Nova, 36(10), 1552-1556.

 

Deixe seu comentário