Referência de podcasts nas normas da ABNT

Ejbjeksx0aa11 F

Todo estudante de graduação conhece ou vai conhecer a famosa ABNT, o órgão responsável por padronizar e criar normas para elaboração de documentos oficiais, como monografias, dissertações e teses, além de dispor de programas para certificação de produtos, sistemas e rotulagem ambiental.

Com a popularização do podcast no Brasil, encontramos cada vez mais notícias, entrevistas e informações relevantes espalhados pela podosfera, tanto nacional quanto internacional. Existem podcasts com os mais diversos temas e podemos encontrar informações importantes para a escrita do nosso trabalho de conclusão de curso que não encontramos em outro lugar.

Se você é da área de Microbiologia e Imunologia, certamente vai gostar de acompanhar o Podcast Microbiando e vai encontrar uma grande variedade de temas, desde episódios sobre Doença de Chagas, Vírus gigantes até os benefícios do Kombuchá. Claro, estamos falando sobre o Microbiando porque é o podcast da casa. Temos prioridade, não é?

Mas temos podcasts em diversas outras áreas. Para quem é jornalista, temos o Vida de Jornalista. Temos o Medicina em Debate, na área de medicina e biomedicina. Pra galera de biológicas, temos o Desabraçando Árvores, que fala sobre ecologia e conservação. Variedade é o que não falta.

Mas ok, vamos ao que interessa! Até fevereiro de 2021, o documento mais atualizado que regula os trabalhos acadêmicos é o ABNT NBR 6023:2018 Versão Corrigida 2:2020. Nesta atualização, encontramos um modelo de referência para que você possa incluir os podcasts na sua tese. Nesse caso, o podcast é considerado um “Documento sonoro em meio eletrônico” e os elementos essenciais são: título, responsável pela autoria (locutor, compositor, intérprete, ledor, entre outros), local (neste caso, colocamos a expressão sine loco, [S.l.], “sem local”, para designar que o local de publicação do trabalho é desconhecido ou não é especificado), produtora do podcast (equivalente à gravadora de CD), data, especificação do suporte (no caso, podcast), local de acesso online e data de acesso. Vamos ver alguns exemplos:

Ejbjeksx0aa11 F

EXEMPLO 1

— Elementos essenciais:
PODCAST LXX: Brasil: parte 3: a república. [Locução de]: Christian Gutner. [S. l.]: Escriba Café, 19 mar. Podcast. Disponível em: http://www.escribacafe.com/podcast-lxx-brasil-parte-3-a-republica/. Acesso em: 4 out. 2010.

EXEMPLO 2

— Elementos complementares (neste caso, destacando uma entrevista em podcast):
ANTICAST 66: as histórias e teorias das cores. Entrevistada: Luciana Martha Silveira. Entrevistadores: Ivan Mizanzuk, Rafael Ancara e Marcos Beccari. [S. l.]: Braimstorm9, 31 jan. 2013. Podcast. Disponível em: https://soundcloud.com/anticastdesign/anticast-66-as-hist-riase/s-OImz9. Acesso em: 22 ago. 2014.

EXEMPLO 3

MICROBIANDO: Vacinas para COVID-19: perguntas e respostas. [Locução de]: Adriana Cabanelas, Ana Carolina Oliveira, Claudia Benjamim, Juliana Echevarria, Leandro Lobo, Rosana Ferreira. [S. l.]: A Ciência Explica, 22 de jan. 2021. Podcast. Disponível em: http://www.cienciaexplica.com.br/2021/01/22/vacinas-para-covid-19-perguntas-e-respostas/. Acesso em: 30 de jan. 2021.

É interessante notar como os órgãos oficiais estão antenados para o crescimento da mídia e seu potencial na área acadêmica. Bom, espero que tenham gostado dessa dica de como fazer referências de podcasts seguindo as normas da ABNT e até a próxima.

Deixe seu comentário