Violência: um problema de saúde pública!

violencia: um problema de saude publica

Este artigo foi traduzido e adaptado de Nature Human Behaviour

Mais de 1 bilhão de crianças (metade de todas as crianças do mundo) estão expostas à violência todos os anos. Na última década, assistimos a surtos de comportamento violento. Como guerras no Oriente Médio, tiroteios em cidades nas Américas e assassinatos em massa em Paris, Istambul, Bagdá, Bruxelas, Orlando e outros lugares. Os inúmeros tiroteios e bombardeios em todo o mundo fazem parecer que o mundo está ficando fora de controle. É assim que é estar dentro de uma epidemia.

A violência é um grande problema global devido a mortes e lesões que causa e os profundos efeitos do trauma sobre indivíduos, comunidades e países. Destrói a saúde física, psicológica, social e econômica de todos os residentes nas áreas afetadas. Reduz a expectativa de vida e bloqueia oportunidades. É urgente que mudemos de rumo e abordemos a violência como um problema de saúde. Interrompendo a disseminação, mudando comportamentos e estabelecendo estratégias de controle de epidemia.

O pensamento primitivo sobre pessoas que cometeram violência é que elas são “más” ou fazem “más escolhas”. Essas ideias são cientificamente sem fundamento. Durante a Idade Média, pessoas com doenças contagiosas, como lepra ou peste, e doenças mentais ou convulsões foram consideradas como tendo falhas morais, o que levou a um tratamento altamente mal sucedido e prejudicial – como vemos hoje com a violência.

Violencia? Esta tudo sob controle

Dizer que a violência é um processo contagioso do cérebro não é uma metáfora. A sociedade tem conhecido há mais de 50 anos que a maior aquisição de comportamento é através de aprendizagem social. Esta cópia inconsciente significa que o comportamento é transmitido de pessoa para pessoa (ou seja, é contagioso).

Para todos os outros problemas de saúde contagiosos – como HIV / AIDS, gripe ou Ebola – quando os surtos se espalham, eles são corretamente identificados como epidemias e métodos de saúde pública para controlar e erradicar as epidemias são rapidamente implantados. Temos sido negligentemente lentos para reconhecer a violência como um problema de saúde contagiosa.

Muitas comunidades já implantaram métodos de saúde pública contra a violência com grande sucesso. Por exemplo, a cidade de Nova York implementou uma rede de sistemas de intervenção à violência que operam em 17 comunidades, lideradas pelo setor de saúde pública. A fundação desta rede é Cure Violence, uma organização não-governamental que emprega a abordagem de saúde pública baseada em evidências para reduzir a violência, e que está trabalhando em mais de 50 comunidades ao redor dos Estados Unidos e em quatro continentes.

Métodos de saúde pública têm ajudado a expandir a vida humana por décadas, reduziu significativamente a mortalidade infantil e colocou muitas das grandes doenças da humanidade no passado. Usando uma abordagem de controle epidemiológico a violência pode ser reduzida a cada vez menos eventos. E esta será a próxima grande conquista da ciência e da saúde pública. Quanto antes melhor.


Referência:

SLUTKIN, G. Reducing violence as the next great public health achievement. Nature Human Behaviour, v. 1, n. 1, p. s41562-016-0025-016, 10 jan. 2017.

Você também poderá gostar:

comentários

About Luiza Toledo

Formada em Ciência Biológicas: Microbiologia e Imunologia pela UFRJ (2016), atualmente faz mestrado na FIOCRUZ em Saúde Publica e Meio Ambiente, na área de gestão e saneamento ambiental.

View all posts by Luiza Toledo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *