4 alimentos que são probióticos

Esse texto foi escrito por Giovanna Lopes, mestranda na pós-graduação de Microbiologia/UFRJ e aluna do Laboratório de Biologia de Anaeróbios.

 

Probióticos são definidos como “produtos que contêm microrganismos vivos benéficos para a saúde do hospedeiro quando administrados em quantidades adequadas”. Provavelmente poucas pessoas conhecem esse termo, mas muitas dessas conhecem algum produto que é probiótico.

O Yakult, um leite fermentado pela bactérias Lactobacillus casei Shirota, é o mais famoso dentre os alimentos probióticos. Por conta disso, vamos deixa-lo de fora dessa lista e vamos falar de seus primos menos famosos (e existem vários).

 

1. Iogurtes probióticos

O Activia foi o primeiro iogurte com probióticos no mercado, sendo o mais conhecido. A bactéria usada em sua formulação é a Bifidobacterium animalis DN173010. Além de ter ação probiótica, essa bactéria produz vitaminas do complexo B, que são importantes para proteção do fígado[1].

Outras marcas podem usar micro-organismos diferentes com modificações específicas, afinal eles são segredos industriais.

 

2. Kefir

Kefir de água e kefir de leite. Fonte: site Temperando

Kefir é uma bebida fermentada a partir de grãos de kefir que pode ser a base de leite ou água. Seus grãos são ricos em bactérias ácido-láticas, bactérias ácido acéticas e leveduras, formando uma relação de simbiose[2]. Os micro-organismos são envoltos por uma matriz rica em açúcar (polissacarídica) de nome Kefiran. Daí o nome kefir![3]

O kefir é muito consumido no oriente como alimento e no tratamento de diversas doenças. Por  ajudar a reduzir o pH estomacal é um ótimo alimento para pessoas com gastrite; melhora crises de asma e bronquite; beneficiam as pessoas que têm doenças relacionadas ao desequilíbrio do sistema imunológico; ajuda a manter a pele, unha e cabelos saudáveis; além desses e de outros tratamentos terapêuticos, o uso de kefir também é associado à longevidade de determinadas populações[3].

Uma vez obtidos os grãos de kefir pode-se ter kefir em casa para sempre, só será necessário cultivar os grãos ou congelar. Podemos ingerir os grãos também, mas normalmente preserva-se os grãos para a produção de mais Kefir.

 

3. Kombucha

Kombucha em sua preparação final. Fonte: site Melhor com Saúde

Pronuncia-se /kombutcha/. Kombucha é uma bebida probiótica feita a partir da fermentação do chá preto, verde ou infusões ricas em cafeína adoçados. Essa fermentação é propiciada pelo aglomerado de bactérias e leveduras (S.C.O.B.Y, do inglês Symbiotic Culture Of Bacteria and Yeast, em tradução livre “Cultura Simbiótica de Bactérias e Leveduras”). Quando esses microrganismos são colocados em um recipiente, contendo uma mistura de chá e açúcar (mascavo ou demerara), eles transformam o líquido em uma bebida refrescante que fornece, além dos benefícios dos micro-organismos no seu corpo, diversos ácidos e nutrientes excelentes para a saúde[4].

Diversas pesquisas indicam que o consumo regular de Kombucha está associado com os seguintes benefícios para a saúde: redução dos níveis de colesterol e pressão arterial, redução da propagação de câncer, o melhoramento do sistema imunológico, intestinal e do fígado[5].

 

4. Simfort

Simfort, diferente dos probióticos aqui mencionados, é um mix de micro-organismos, contendo 5 espécies de bactérias: Lactobacillus casei, Bifidobacterium bifidum, Lactococcus lactis, Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium lactis. A outra diferença entre os demais é que ele se enquadra melhor na categoria de suplementos. É vendido em pó, dentro de sachês, e é recomendado pelo fabricante tomar um sachê por dia, dissolvendo em água ou suco da fruta.

Porém, para ter um efeito completo do produto, é importante que seja recomendado por um especialista, pois assim será feita a recomendação da quantidade ideal e o melhor hora do dia para ser administrado.

 


Referências

[2] 2002. Simova, Beshkova, Angelov, Hristozova, Frengova e Spasov. Lactic acid bacteria and yeasts in kefir grains and kefir made from them.
[4] 2000. C. Dufresne e E. Farnworth. Tea, Kombucha, and health: a review.
[5] 2018. Jessica Martínez Leal, Lucía Valenzuela Suárez, Rasu Jayabalan, Joselina Huerta Oros e Anayansi Escalante-Aburto. A review on health benefits of kombucha nutritional compounds and metabolites.

Você também poderá gostar:

comentários

Equipe Ciência Explica

Somos um site de divulgação científica que tem como objetivo difundir a ciência de uma maneira fácil e divertida para que todos consigam compreender. Nos comprometemos em produzir e transmitir conteúdos de qualidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: