Como funciona o protetor solar?

O dia 21 de dezembro marca o início do verão nos países do hemisfério sul. Crianças e jovens de férias, começo do recesso de fim de ano, temperaturas mais elevadas e, com isso, praias lotadas e muito calor.

Durante o verão, os raios solares incidem mais diretamente em um hemisfério do que no outro, aquecendo-o[1]. Por isso, além de termos que beber mais água para nos manter hidratados, também precisamos proteger nossa pele dos raios solares usando protetor solar. Mas isso você já deve saber. Porém, você sabe como o filtro solar age protegendo nossa pele?

Antes, precisamos entender um pouco sobre os tipos de radiação que o Sol emite e qual sua influência nos seres vivos.

Praticamente três tipos de radiação solar chegam na Terra: infravermelha, raios visíveis e ultravioleta. A radiação infravermelha é percebida através do calor, os raios visíveis são percebidos através das cores que detectamos pela nossa visão e os raios ultravioletas são perceptíveis através de reações químicas, como a estimulação da produção de melanina, produção de vitamina D e o dano tecidual que se torna visível pelas queimaduras[2].

Em relação aos efeitos biológicos, a radiação ultravioleta (UV) pode ser dividida em três tipos: radiação ultravioleta A (UVA), radiação ultravioleta B (UVB) e radiação ultravioleta C (UVC).

A UVA é responsável por induzir o bronzeamento da pele, uma vez que penetra mais profundamente na derme e estimula a produção de melanina. Mesmo sendo a radiação UV mais abundante na superfície terrestre, esse tipo de radiação causa menos dano do que o UVB. Mesmo assim, se tiver exposição frequente e sem proteção, a radiação UVA pode causar envelhecimento prematuro da pele através de seus efeitos cumulativos.

A radiação UVB causa queimaduras solares com certa frequência, atingindo a camada mais externa da pele, a epiderme. Além desses danos, a UVB pode diminuir a resposta imunológica e causar cataratas e câncer de pele, uma vez que induz alterações degenerativas nas células. Entretanto, a radiação UVB não é tão ruim quanto parece. Em exposição moderada, se torna essencial na produção de vitamina D.

A radiação UVC é nociva aos seres vivos, uma vez que possui maior energia que a UVA e UVB. Entretanto ela é retida pela camada de ozônio na estratosfera e não chega à superfície terrestre.

 

Como o protetor solar age?

O protetor solar ajuda a proteger nossa pele dos danos causados pela radiação ultravioleta do sol (UVA e UVB), reduzindo os casos de insolação, queimaduras, envelhecimento precoce da pele e até câncer de pele[2]

Quando falamos sobre o modo de ação e composição dos protetores solar, podemos dividi-los em dois tipos: inorgânico e orgânico.

O protetor solar do tipo inorgânico é composto principalmente por dióxido de titânio ou óxido de zinco que se apresentam em partículas muito pequenas. Quando espalhadas uniformemente, protegem a pele criando uma camada que reflete os raios UV. Devido ao excesso desses óxidos, o filtro solar do tipo inorgânico geralmente deixa uma camada branca sobre a pele.

Por outro lado, o filtro solar do tipo orgânico possui compostos aromáticos capazes de absorver os raios UV e transforma-los em radiações com menor energia ao invés de refletir os raios. Com isso, os raios que chegam à pele são menos nocivos.

O ideal seria que usássemos o protetor solar com o fator de proteção adequado todos os dias, inclusive em dias nublados, para diminuir os danos futuros que a exposição contínua e excessiva de raios ultravioleta pode proporcionar. Essa recomendação é ainda mais forte para pessoas que possuem a pele clara, pois possuem menor concentração de melanina, o pigmento responsável pela proteção da pele contra a radiação UV solar.

Por isso, seja na praia, no parque, na cachoeira, indo trabalhar ou na padaria, use protetor solar para defender nossa pele dos raios ultravioleta.


Referências:

[1] 2012.UFRGS. Movimento Anual do Sol e as Estações do Ano.

[2] 2007. Flor, J., Davolos, M. R. e Correa, M. A. Protetores solaresQuímica Nova30(1), 153-158.

Ciência Hoje das Crianças. Como funciona o protetor solar?

Você também poderá gostar:

comentários

Sidcley Lyra

Formado em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia pela UFRJ no ano de 2017. Tenho experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Microbiologia Ambiental. Além dos estudos que resultou no TCC, participei de alguns projetos de popularização da ciência, como o Cineclube Biofilme e o Ciência em Jogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: