Por que temos vontade de comer chocolate na TPM?

A primeira descrição moderna da TPM (tensão pré menstrual) é creditada ao ginecologista Robert Frank. Ele definiu a TPM como  um conjunto de mudanças no humor e comportamento associadas à fase pré-menstrual e publicou suas observações a respeito do quadro clínico.

Uma das característica dos quadros de TPM  comumente observada em mulheres é a oscilação do apetite durante o período pré-menstrual. Marcada principalmente pelo aumento na preferência por carboidratos.

Essa predileção por carboidratos pode ser explicada pela hipótese de Wurtman (1993), que diz que o aumento do  consumo de carboidratos teria uma função compensatória, na medida em que esse consumo é capaz de aumentar a síntese e a liberação de serotonina através do aumento da captação de triptofano, aminoácido precursor da síntese desse neurotransmissor (serotonina).

Por que chocolate?

Porque é gostoso. Mentira, não é esse o motivo. Mas poderia ser. A hipótese de Wurtman refere-se a carboidratos o que engloba um grupo de alimentos muito grande. Então, porque o chocolate?

Acontece que a matéria prima do chocolate é o cacau que é rico em triptofano (aquele aminoácido que a gente acabou de dizer que auxilia na liberação de serotonina). Além disso, o cacau também é rico em magnésio, cálcio e ferro nutrientes que o ciclo metabólico fica alterado no período pré-menstrual.  Então, a compensação de nutrientes é um dos motivos para tanto apreciarmos um chocolatinho naqueles dias.

Como não amar a ciência? Ela até te dá um desculpa para se entupir de chocolate e colocar a culpa na TPM! MENTIRA, NÃO FAÇA ISSO! O chocolate, assim como tudo na vida, traz benefícios contato que seja consumido moderadamente. Isso porque ele é um alimento com muito açúcar e gordura saturada, que não é bom nem para sua saúde, como também não é bom para sua TPM. Dê preferencia para chocolates com porcentagem de cacau acima de 70%!


Referências

1- Sampaio H. Aspectos nutricionais relacionados ao ciclo menstrual. Revista de Nutrição. 2002 Set-dez; 15(3):309-317

2- Pires MLN; Calil HM. Associação entre Transtorno Disfórico Pré-menstrual e Transtornos Depressivos. Revista Brasileira Psiquiatria. 1999; 21(2):118-127.

3- WURTMAN, J. J. Depression and weight gain: the serotonin connection. Special Issue Toward a New Psychobiology of Depression in Women, v. 29, n. 2, p. 183–192, 1 out. 1993.

Você também poderá gostar:

comentários

Luiza Toledo

Formada em Ciência Biológicas: Microbiologia e Imunologia pela UFRJ (2016), atualmente faz mestrado na FIOCRUZ em Saúde Publica e Meio Ambiente, na área de gestão e saneamento ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: