[Ciência às Seis e Meia] O avanço sobre as terras indígenas no Brasil

No dia 04 de abril, o Ciência às Seis e Meia comemorará o mês do índio e da Terra trazendo o professor Antonio Carlos de Souza Lima, do Laboratório de Pesquisas em Etnicidade, Cultura e Desenvolvimento (Museu Nacional/UFRJ) para abordar os avanços sobre as terras indígenas no Brasil e a garantia do direito dos povos indígenas a terra.

Para a população indígena, o direito a terra não significa apenas direito ao espaço físico para suas atividades produtivas. Terra vai muito além da concepção de solo, significa um lugar aonde o indígena pode reproduzir sua cultura e tradições, seu modo de viver. Então, podemos dizer que a necessidade de demarcação das terras indígenas é tópico principal de toda a luta ancestral da população indígena.

Segundo o prof. Dr. Antonio Carlos, a apresentação buscará recuperar a história recente do reconhecimento dos direitos indígenas a terra tal como estabelecidos pela Constituição de 1988, bem como as tensões intra- e extragovernamentais que se estabelecem contra os processos de reconhecimento desses direitos. Abordando ainda o cenário presente de pressões pautadas a partir do modelo de desenvolvimento rural que tem o agronegócio e suas estratégias como fundamentais.

 

O projeto

O projeto Ciência às Seis e Meia é um ciclo de apresentações de divulgação científica voltada para o grande público que se deu início nos anos 80 com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), na regional do Rio de Janeiro. Com o objetivo de aumentar o contato entre os cientistas e a população, a SPBC sempre traz temas atuais do mundo das ciências biológicas, exatas e humanas para serem discutidos com o público em apresentações com linguagem acessível.

O Ciência às Seis e Meia ocorre toda primeira quarta-feira do mês de forma gratuita e ainda conta com emissão de certificado de participação pela SBPC/RJ.

 

Serviço

O avanço sobre as terras indígenas no Brasil hoje: modelos de desenvolvimento, direitos etnicamente diferenciados e horizontes de futuro” com o Dr. Antonio Carlos de Souza Lima, pesquisador do Departamento de Antropologia do Museu Nacional/UFRJ.

Dia 04 de fevereiro às 18h30

Local: Observatório do Amanhã, Museu do Amanhã – Praça Mauá, RJ.

Inscrições feitas no site do Museu do Amanhã.

Acesse também o evento no Facebook e fique por dentro das novidades.

 

 

O Ciência às Seis e Meia é organizado pela SBPC – RJ e SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Conta ainda com o apoio do Museu do Amanhã e o site de divulgação científica A Ciência Explica.

 


Biografia

Antonio Carlos de Souza Lima é Licenciado em História pelo ICHF/Departamento de História -Universidade Federal Fluminense (1979). Obteve os graus de Mestre (1985) e Doutor (1992) em Antropologia Social pelo PPGAS/Museu Nacional-Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é Professor Titular de Etnologia/Depto. de Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ, onde atua no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social.

Tem experiência nas áreas de Antropologia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: Antropologia do Estado (indigenismo, poltica indigenista, povos indgnas e universidade; estudos sobre a administração pública e a cooperação técnica internacional) e História da Antropologia no Brasil (antropologia histórica dos museus e coleções etnológicas; relações indigenismo-antropologia).

Foi presidente da Associação Brasileira de Antropologia (2015-2016), da qual também foi Vice-Presidente (2002-2004); Coordenador de sua Comissão de Assuntos Indígenas (2002-2004; 2006-2008); Diretor Regional (2008-2010; 2013-204). Foi coordenador do Fórum de Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas (01/2015-10/2016). Integra o Conselho de Pós-Graduação e Pesquisa (CEPG) da UFRJ desde 2014. É co-coordenador do Laboratório de Pesquisas em Etnicidade Cultura e Desenvolvimento (LACED)/Setor de Etnologia/Dept. de Antropologia-Museu Nacional/UFRJ.

Coordena as coleções editoriais Abrindo Trilhas e, com Adriana Vianna, Antropologias. Tornou-se editor de Vibrant e Virtual Brazilian Anthropology em janeiro de 2017.

Você também poderá gostar:

comentários

About Sidcley Lyra

Formado em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia pela UFRJ no ano de 2017. Tenho experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Microbiologia Ambiental. Além dos estudos que resultou no TCC, participei de alguns projetos de popularização da ciência, como o Cineclube Biofilme e o Ciência em Jogo.

View all posts by Sidcley Lyra →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *