O Livro da Ciência

O Livro da Ciência reúne em suas 352 páginas o progresso científico através dos séculos, mostrando de forma resumida a história dos “grandes cientistas” e suas descobertas. Logo na introdução vemos um resumo do desenvolvimento do método científico do filósofo inglês Francis Bacon; temos a desmitificação de que o avanço científico é feito somente pelos cientistas geniais e vemos que, na verdade, quase todos os avanços dependem de trabalhos e teorias criados por outros cientistas anteriormente; os primeiros cientistas nos são revelados: filósofos da Grécia Antiga que tinham uma visão científica, como Pitágoras, Xenófanes e Empédocles, porém, em sua maioria usavam somente a observação para criar suas ideias sobre o universo.

O livro é separado em 6 capítulos que remetem a períodos do desenvolvimento da ciência: o primeiro capítulo é “O Começo da Ciência: 600 a.C. – 1400 d.C.”, seguido por “Revolução Científica: 1400 – 1700”, “Expandindo Horizontes: 1700 – 1800”, “Um Século de Progresso: 1800 – 1900”, “Uma Mudança de Paradigma: 1900 – 1945” e “Pilares Fundamentais: 1945 – Presente”. Uma linha do tempo e um breve resumo de cada período acompanha o começo dos capítulos, seguido pelos verbetes de cada descoberta ou teoria.

Os professores e colaboradores que escreveram e organizaram as ideias d’O Livro da Ciência se preocuparam em situar o leitor no contexto histórico de cada descoberta mostrando como era o pensamento antes, assim como o impacto que a descoberta gerou nos anos seguintes e não somente a descoberta em si. Além dos verbetes das descobertas e teorias, alguns cientistas ganharam uma breve biografia, mostrando sua vida e obras-chave, enriquecendo ainda mais o livro.

Um fluido vivo contagioso. A descoberta dos vírus por Martinus Beijerinck no século XIX.

Fazer uma compilação com figuras específicas que representem grandes avanços para o campo científico e reunir em apenas um livro deve ser trabalho duro. Por vez, outras personalidades também importantes ficaram de fora dos verbetes principais. Para solucionar esse problema, os escritores criaram um capítulo chamado diretório: uma lista das personalidades que deram acréscimos ao nosso entendimento do mundo científico, entre eles estão Descartes, Bohr, Sanger e outros.

O grande ponto positivo d’O Livro da Ciência, além de todos esses que já citei, é a linguagem simples utilizada durante sua narrativa. Os escritores trouxeram não somente as verdades das ciências, mas também as curiosidades e histórias engraçadas por trás de alguns avanços científicos, o que deixa a leitura mais leve e de fácil compreensão. O uso de imagens e diagramas únicos também auxiliam a explicação de alguns conceitos que poderiam ser considerados mais difíceis de explicar.

O Livro da Ciência faz parte da série “As Grandes Ideias de Todos os Tempos”, lançado aqui no Brasil pelo selo Globo Livros. É um ótimo guia da história da ciência para curiosos e estudantes das áreas da Ciência que mostra a construção da ciência através dos séculos.

Você também poderá gostar:

comentários

Sidcley Lyra

Formado em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia pela UFRJ no ano de 2017. Tenho experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Microbiologia Ambiental. Além dos estudos que resultou no TCC, participei de alguns projetos de popularização da ciência, como o Cineclube Biofilme e o Ciência em Jogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: