“To the bone”: falando sobre distúrbios alimentares

O mínimo para viver (To the bone, em inglês) foi o lançamento original da Netflix que estreou no catálogo de filmes no dia 14 de julho. O filme retrata a vida de Ellen, uma menina de 20 anos, que sofre de anorexia e sua busca por tratamento.

Existe uma preocupação com filmes que abordam transtornos mentais (anorexia, bulimia, depressão, etc.), pois ao mesmo tempo que eles alertam a respeito das doenças devastadoras, também podem servir como gatilho de start do problema em algumas situações. Não estamos aqui para fazer uma crítica ao filme sob esse aspecto, mas sim para aproveitar o filme e conversar sobre uma doença séria que precisa ser discutida.

O que é ter anorexia?

No filme, a protagonista Ellen, tem anorexia nervosa, uma doença psiquiátrica caracterizada por uma restrição da ingestão de alimentos, levando a um peso corporal perigosamente baixo. É perceptível ao longo do filme perceber o medo da protagonista em ganhar peso e os distúrbios da imagem corporal, ou seja, para a pessoa anoréxica o seu estado de magreza é algo normal.

O que causa anorexia?

Durante o filme é possível ver a relação familiar da protagonista e podemos observar que é uma relação conturbada, isso é apontado várias vezes como um motivo para a doença ter surgido.  A anorexia pode ser resultado de múltiplos fatores, tanto ambientais, como a cultura da magreza na mídia, reforçando um esterótipo e traumas de criança e/ou familiares; quanto biológicos, como funções hormonais desregulares e  deficiências nutricionais.

Implicações da anorexia

A anorexia tem diversas implicações tanto na pessoa que sofre da doença quanto das pessoas que a cercam. E assim como alguns outros transtornos mentais, como depressão, ainda é visto como frescura ou bobeira por algumas pessoas. No filme podemos ver uma cena onde viram para a protagonista e falam: “Basta comer”, mas como comer quando o corpo e a mente sentem repulsa por aquilo que é ingerido? É perceptível durante o filme que existe uma deficiência na percepção das implicações do seu estado de magreza, por parte da protagonista.

Esta parte contém spoilers!

Anorexia tem cura? – O final aberto

O final aberto do filme deixou muitas pessoas incomodadas, pois não mostra a cura de Ellen. O final é ela aceitando que tem a doença e mostrando que agora ela está disposta a combate-lá. A anorexia é uma doença cronica, ou seja, ela persiste por um longo período de tempo. E apesar de ter um tratamento é necessário o acompanhamento constante. Por isso, não faria sentido mostrar “a cura”, isso vai se dar aos poucos de forma gradual, com altos e baixos, o importante é não desistir.


Referências:

About Anorexia: Signs, Symptoms, Causes & Articles For Treatment Help. Disponível em: <https://www.eatingdisorderhope.com/information/anorexia>. Acesso em: 9 ago. 2017.
PHILLIPOU, A.; CASTLE, D. J.; ROSSELL, S. L. Anorexia nervosa: Eating disorder or body image disorder? The Australian and New Zealand Journal of Psychiatry, p. 4867417722640, 1 jul. 2017.

 

Você também poderá gostar:

comentários

About Luiza Toledo

Formada em Ciência Biológicas: Microbiologia e Imunologia pela UFRJ (2016), atualmente faz mestrado na FIOCRUZ em Saúde Publica e Meio Ambiente, na área de gestão e saneamento ambiental.

View all posts by Luiza Toledo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *